Foi dada a largada: COCARI rumo às melhores do Brasil

Estratégia adotada irá nortear as ações da cooperativa no quadriênio 2018-2021

No automobilismo, uma boa largada é passo decisivo para se chegar ao pódio, mas um bom preparo, conhecimento do trajeto e atenção à pista, aliados a manter a velocidade e a preocupação com a segurança nas manobras vão garantir a chegada vitoriosa. Assim também a Cocari está se preparando para estar entre as melhores cooperativas do Brasil, e a estratégia adotada tem tudo a ver com esse enunciado. RPM é a sigla do projeto que tem implícita a velocidade para o alcance dos objetivos.
E se em automobilismo a sigla representa rotações por minuto, a força que dá ao piloto a condição de lutar pelo primeiro lugar, na Cocari envolve três vertentes essenciais para o crescimento: Resultado, Pessoas e Mercado. “Nossos objetivos são aumentar o recebimento de grãos, ter portfólio de produtos e serviços com maior valor agregado, ter modelo de gestão estruturado com foco em resultado e desenvolver o quadro social para sustentar o crescimento dos negócios”, destacou o presidente da Cocari, Vilmar Sebold.

No dia 2 de outubro, em Mandaguari, ocorreu o primeiro evento de lançamento do Projeto RPM Cocari; os associados aceitaram o desafio, conscientes de que o crescimento sustentável depende de todo

Apresentação do projeto

Em respeito aos cooperados, o evento percorrerá toda a área de ação da cooperativa, no Paraná e no Cerrado. O primeiro evento de lançamento do projeto ocorreu em Mandaguari, no dia 2 de outubro e se estende até o final de novembro.
A apresentação do RPM também seguiu a linha de velocidade. Um simulador de carro de Fórmula 1 está sendo disponibilizado durante os eventos de lançamento para que cooperados e colaboradores possam vivenciar as emoções que as rotações por minuto trazem.

O carro simulador de Fórmula 1 atrai a atenção e anima os convidados  na ExpoMandaguari para testarem suas habilidades ao volante em alta velocidade, com muita adrenalina

Em Marialva  o evento ocorreu no dia 4 de outubro

Em Aquidaban  o evento aconteceu no dia 6 de outubro

Aceitar o desafio e entender a proposta

O Projeto RPM irá nortear as ações da Cocari no quadriênio 2018-2021. Os colaboradores entenderam que a simulação feita no carro de corrida significa que a cooperativa conta com a velocidade, agilidade e habilidade de seu capital humano para obter resultados e se destacar no mercado. A primeira colaboradora a aceitar o desafio de velocidade foi Regilaine de Fátima Araújo Curcio Alves, do Laboratório de Análise de Sementes – LAS, que de imediato associou a emoção de pilotar o carro com tamanha força de aceleração à concentração para sustentar a constante velocidade, isso tudo sendo observada. Ela conseguiu traçar o paralelo entre a brincadeira e o que a cooperativa espera de sua equipe. “No nosso trabalho também precisamos desse equilíbrio e concentração, independente do ambiente, porque o mercado também está nos olhando”, avaliou. “E independentemente do que venha a acontecer, temos de ter resultado na cooperativa com qualidade para o nosso produtor plantar e colher, e rezar para que tenhamos uma boa produtividade, um bom plantio”, observou.

Temos de questionar sobre o que fazemos no dia a dia para mudar e crescer, nos estruturar, começar a usar mais os recursos que temos e desenvolver mais a cooperativa”

Regilaine de Fátima
Curcio Alves

Regilaine de Fátima Araújo Curcio Alves, do Laboratório de Análise de Sementes, foi a primeira a aceitar o desafio e comprovar que o equilíbrio e foco da prova são necessários também na condução das atividades diárias que levam aos bons resultados

Regilaine aponta que, com o RPM, é possível ver a necessidade de mudança. “Temos de questionar sobre o que fazemos no dia a dia para mudar e crescer, nos estruturar com o que temos, porque possuímos muitas ferramentas nas mãos, mas usamos pouco. Precisamos começar a usar mais os recursos que temos e desenvolver mais a cooperativa”, enfatizou. 
As mudanças não vão depender de um ou outro setor, mas do conjunto. “Laboratório com entreposto, com UBS, financeiro, administrativo. Um depende do outro e todos devem se unir neste processo, com trabalho voltado a um único objetivo, que é ver a cooperativa crescer”, apontou. 
O trabalho de todos busca alcançar o melhor para os cooperados, colaboradores e familiares. “Vejo a cooperativa como uma família, que beneficia toda a comunidade. Minha mãe e meu pai trabalharam na Cocari, hoje meu esposo está na cooperativa. E tem meu sogro, cunhada, tios, e quero ver, no futuro, meus filhos na cooperativa. Eu vejo um crescimento muito bom para a Cocari. Temos condições para isso e muito mais”, finalizou Regilaine.

Evento em Itambé foi realizado no dia 9 de outubro

Evento em Jandaia do Sul aconteceu no dia 13 de outubro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *